Sala Levino Fanzeres abre 2021 com mostra fotográfica apresentada na Espanha

Por

São registros do cotidiano dos pescadores artesanais da costa do Sul do ES
Foto: Julio Cesar Pires

A Sala de Artes Levino Fanzeres, em Cachoeiro, abriu a temporada 2021 de exposições em grande estilo. Nesta sexta-feira (15), foi lançada, com apoio da Lei Rubem Braga, a mostra LABOR, trabalho do fotógrafo cachoeirense Julio Cesar Pires que já circulou pela América Latina e que foi aclamado pela Universidade de Salamanca, na Espanha.

LABOR é resultado de um trabalho minucioso de cinco anos, em que o artista registrou o cotidiano dos pescadores artesanais da região costeira do Sul do Estado. As imagens representam de maneira inspiradora a vivência daqueles que dependem do mar para sustento de suas famílias.

O projeto ganhou grande destaque quando foi selecionado no programa de residência artística da Universidade de Salamanca, uma das maiores instituições da Europa, fazendo de Julio o único fotógrafo capixaba a ser contemplado nessa residência. A partir de então, foram sete exposições em seis países.

Além da Espanha, Labor viajou para as capitais do México, Peru, Argentina, Chile e Colômbia, onde foi exposta no Instituto de Cultura Brasil Colômbia e, também, na Konrad Lorenz University Foundation, se tornando a iniciativa cultural que mais promoveu a cultura dos pescadores artesanais capixabas fora do Brasil, com mais de 20 mil pessoas circulando nas exposições.

O fotógrafo cachoeirense explica que LABOR é um projeto muito especial, já que cada imagem reflete os anos de pesquisa e busca em torno da foto que de fato retratasse a alma dos pescadores da região.

“LABOR chega em casa depois de um intervalo de 5 anos da minha primeira exposição na Sala Levino Fanzeres. De lá para cá, tive a oportunidade de expor este trabalho e promover a cultura do meu Estado lá fora. Este projeto também me levou para a Universidade de Salamanca, na Espanha, onde cursei a residência artística e fiz minha primeira exposição na Europa. É um trabalho importante para minha formação como pessoa e fotógrafo”, explica Julio Cesar.

“É compensador saber que uma lei municipal de fomento à cultura, a nossa Lei Rubem Braga, proporcione ao cachoeirense uma produção de tamanha qualidade e beleza. A exposição Labor é um primor”, expressa a secretária de Cultura e Turismo de Cachoeiro, Fernanda Martins.

A exposição terá acesso limitado por conta dos protocolos para enfrentamento da Covid-19 e ficará em cartaz até o dia 5 de março. O público poderá conferir o trabalho de Julio Cesar Pires, de segunda a sexta-feira, sempre das 12h às 18h. A Sala Levino Fanzeres fica no térreo do Palácio Bernardino Monteiro, no Centro. O uso de máscaras de proteção é obrigatório.

Confira mais Notícias

Cultura

Cachoeiro de Itapemirim

Aulas gratuitas de teatro e balé no Centro Cultural Luz del Fuego, em Cachoeiro de Itapemirim

Cultura

Cachoeiro de Itapemirim

Quilombolas compartilham memórias sobre Monte Alegre em série de entrevistas

Cultura

Cachoeiro de Itapemirim

Bienal, teatro e ações culturais homenageiam Rubem Braga em Cachoeiro

Cultura

Anchieta

Quinta teatral no verão de Anchieta

Cultura

Itapemirim

Prefeitura de Itapemirim amplia prazo para inscrição de projetos na Lei Paulo Gustavo

Cultura

Marataízes

Academia Marataízense de Letras promove evento para celebrar cultural popular

Cultura

Cachoeiro de Itapemirim

Comunidade quilombola Monte Alegre encerra projeto de valorização do patrimônio imaterial

Cultura

Vitória/ES

Monólogo ‘Rubem Braga: a vida em voz alta’ resgata memórias da vida pessoal e literária do autor cachoeirense