Foragidos de Penitenciária de Mossoró são recapturados após 50 dias

Por

G1

Fugitivos de presídio federal em Mossoró, em imagem após a recaptura — Foto: Reprodução

A Polícia Federal informou nesta quinta-feira (4) que recapturou, em Marabá (PA), os dois fugitivos que haviam escapado da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Marabá, no Sudeste do Pará, fica a mais de 1.600 quilômetros de distância de Mossoró. Um trajeto em “linha reta” entre as duas cidades passa por pelo menos cinco estados: além de Pará e Rio Grande do Norte, também por Ceará, Piauí e Maranhão – e, a depender do trajeto, pelo Norte do Tocantins.

A operação envolveu o monitoramento de três veículos que, segundo as investigações, davam cobertura à fuga – ao todo, seis pessoas foram presas nos três carros. Um dos foragidos foi capturado pela PF, e outro, pela PRF.

Rogério da Silva Mendonça, de 35 anos, e Deibson Cabral Nascimento, 33 anos, tinham fugido do presídio no dia 14 de fevereiro – foram 50 dias até a recaptura.

“Na tarde desta quinta-feira (4), em uma ação conjunta das polícias Federal e Rodoviária Federal, foram presos, em Marabá (PA), os foragidos do Sistema Penitenciário Federal Rogério Mendonça e Deibson Nascimento”, informou a PF em nota oficial.

Os suspeitos foram presos na ponte que atravessa o Rio Tocantins. A abordagem ocorreu neste local para evitar a fuga pelo rio.

Polícia Rodoviária Federal em Marabá, após prisão de fugitivos de Mossoró. — Foto: Reprodução

Polícia Rodoviária Federal em Marabá, após prisão de fugitivos de Mossoró. — Foto: Reprodução

Investigadores informaram que a dupla deve ser devolvida a Mossoró – e que essa transferência seria uma “questão de honra” para o Ministério da Justiça, que coordena o sistema penitenciário federal.

Os dois presos, originalmente do Acre, estavam na unidade desde setembro de 2023 e integram a facção criminosa Comando Vermelho.

Os dois abriram passagem por um buraco atrás de uma luminária do presídio e cortaram duas cercas de arame usando ferramentas de uma obra que ocorria no local para escapar.

Foi a primeira fuga registrada na história do sistema penitenciário federal, que inclui ainda penitenciárias em Brasília (DF), Catanduvas (PR), Campo Grande (MS) e Porto Velho (RO).

Recaptura envolveu força-tarefa

Após a fuga, autoridades locais e federais criaram uma força-tarefa para capturar os fugitivos. O grupo incluía a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil e Polícia Militar do estado.

A Força Nacional também foi enviada para ajudar na operação, mas deixou a força-tarefa em 30 de março, após 46 dias de buscas. Segundo o Ministério da Justiça, a partir de então, as buscas passaram a ser focadas em ações de inteligência.

Segundo um levantamento da GloboNews, apenas com as forças federais, a operação custou R$ 2,1 milhões aos cofres públicos. Veja abaixo:

Polícia Federal: R$ 497.812

Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen): R$ 372.218,62

Força Nacional: R$ 1.245.549

Total: R$ 2.115.579

Confira mais Notícias

Polícia

Vila Velha

Executado com mais de 20 tiros durante comemoração do aniversário de filha

Polícia

Cachoeiro de Itapemirim

GCM de Cachoeiro apreende veículo clonado

Polícia

Cachoeiro de Itapemirim

Mulher grávida de 9 meses morre atropelada em Cachoeiro. Bebê também não resistiu

Polícia

Marataízes

Polícia traça linha de investigação para chegar ao executor de servidor de Marataízes

Polícia

Piúma

Polícia Civil prende "Contator do tráfico" em Piúma

Polícia

Rio Novo do Sul

PC cumpre mandados e prende dois ligados ao tráfico em Rio Novo do Sul

Polícia

Itapemirim

Agência do Banestes de Itapemirim é invadida durante final de semana e ladrões levam armas e coletes

Polícia

Cachoeiro de Itapemirim

Homem é baleado e morre ao dar entrada na UPA em Cachoeiro